Tortura Clássica
INDICE:
Textos

Perfil
Tagboard
Links
Créditos

+ seguir
Mudando @ segunda-feira, 7 de maio de 2012


Terça feira passada foi um dia marcante. Me sentei na janela do trem e observei a cidade ficar pra trás rumo ao Centro de Dança Rio pela ultima vez. Lembro-me de apoiar a cabeça naquele vão da janela e fechar os olhos tranquilizando-me, memorizando que daria tudo certo, que era o melhor a se fazer.
Quando cheguei, olhei todos os lindos quadros que decoram a entrada pela ultima vez. Subi as escadas degrau por degrau (lembrando-me das vezes em que pulei) e fui direto para o vestiário. A despedida de minhas companheiras de dança foi um dos momentos de minha vida que nunca esquecerei. Sem querer ser melancólica: estou quase chorando agora, enquanto escrevo isso.
À caminho da diretoria, encontrei um velho amigo chegando (um amigo que começou a dançar na mesma escola que eu) e expliquei-lhe que estava cancelando minha matricula. Foi triste.
Cancelei minha matricula com um leve aperto no peito de quem não sabe o que fará em seguida. Desci as escadas deslizando as mãos no corrimão cor cinza-desbotado. Todos os meus sonhos estavam ali, eu sempre sonhara em fazer aula em um lugar como aquele e agora estava deixando tudo para trás. Respirei fundo algumas vezes enquanto passava no portão e fechei os olhos por um momento: nunca me esquecerei a primeira ou a ultima aula. Os ensaios aos sábados, as aulas de Dança Livre, os conselhos da professora.
Mas calmem: não fiquei parada. Joguei a preguiça pro alto antes de ser consumida e já fiz minha matricula em uma nova escola. Quarta feira passada fiz minha primeira aula e voltei feliz pra casa. Aliás, tenho me perguntado porque não fiz isso antes... Agora posso ter a honra de dizer que já fiz parte de uma das melhores escolas do Rio, mas me pergunto se era realmente necessário. Óbvio: o CDR me deu toda uma visão privilegiada da dança, convivi com profissonais, 50% das meninas da minha turma serão grande bailarinas e uma delas chegou à fase final do Pris de Lausanne. A questão é que eu não participei de nada disso - ou seja, ganhei experiencia vendo pessoas dançar, e não dançando por mim mesma. Mas estou feliz, creio que tudo isso terá uma imensa serventia no futuro.
O lado bom de tudo e minha maior alegria no momento é saber que finalmente terei uma chance. No Studio de Dança Varejão, minha nova escola de dança, sinto que terei chance de dançar como sempre quis. O defeito de escolas grandes no geral (e tem em todas ela, não no CDR em especial) é que uma classe é privilegiada em participar de festivais, aulas especiais, cursos avançados.. E outra classe faz apenas aulas com todo o resto. Não quero reclamar, desdenhar ou o que for, mas é a mais pura realidade, meu povo. Em escolas grandes não importa o quanto você queira: se você não tem o corpo/capacidade física você simplesmente não tem chance de fazer o que ama. Não diretamente. Já no SDV, contanto que você queira, você pode. E se você pode, meu bem, não há quem diga que não vai dar.
Mas não estou postando para falar da desvalorização de sonhos em grandes escolas. Estou aqui para dizer que estou feliz e espero que finalmente tenha encontrado o melhor lugar pra mim. Só isso.
Boa sorte à todos mas preciso me arrumar agora porque em breve começa minha aula de clássico.
Beijos, Raíla Guimarães.