Tortura Clássica
INDICE:
Textos

Perfil
Tagboard
Links
Créditos

+ seguir
Realizada @ quinta-feira, 17 de novembro de 2011


Mágico. O espetáculo do Centro de Dança Rio foi mágico! E eu me lembro que quando cheguei ao teatro, me ajoelhei no chão da coxia e orei, orei agradecendo a Deus. E aí, passou o filme em minha cabeça.
Abri mão de absolutamente tudo pra ir pro CDRio. Minha primeira escola de dança, meus vários amigos bailarinos - que fazem falta ate hoje - meu dinheiro, meu tempo, meu conforto, minha segurança - porque corro um risco tremendo todo dia - e até do meu sono. Lembrei do dia em que tomei a decisão de ir pra lá: minha mãe torcendo o nariz, minha irmã cheia de desconfiança da minha coragem, meus amigos pensando que eu não iria conseguir. Lembrei do meu primeiro dia de aula: a professora, Flavia Burlini, consertando meu rond de jambe e dizendo que era pra ir ate atrás. Lembrei das vezes em que quase fui assaltada e mesmo assim, não desisti. Lembrei dos sábados em que faltava o trabalho para ir ao CDRio para ensaiar. Lembrei das tantas vezes que chorei: quando fui chamada de gorda por uma colega de classe, quando pensei que não seria capaz de "chegar lá", quando errei uma seqüência de prova, quando cogitei desistir para sempre, e tantos outros motivos tão bobos agora. Lembrei que minha primeira aula de ponta havia sido em 22 de fevereiro e eu deveria me orgulhar de já saber das duas piruetas, de conseguir ter algum equilíbrio, de ter capacidade de dançar na ponta. Lembrei do dia em que a professora me adiantou 1 ano, me passando para o 5PP e eu senti que ela verdadeiramente acreditava em mim. Lembrei de quando ela disse "Você merece estar aqui, isso é mérito seu. Levante esses ombros, olhe-se no espelho e sinta-se linda" e eu voltei chorando pra casa e prometi que nunca mais perderia a confiança em mim mesma. Lembrei do muito que ralei, chorei e deixei pra trás. Dos dias em que não comi, das abdominais frenéticas, da caminhada aqui e ali. Do muito que aprendi pra chegar onde estava. E eu consegui. EU CONSEGUI! 
Tudo ocorreu perfeitamente - eu respirei fundo, subi ao palco... E foi perfeito. Perfeito. Nada se compara àquela sensação e estou muito, muito realizada. Nada descreveria isso, sabe? Ainda falta muito, eu sei. Mas ali, naquele palco, pude ver. Pude ver com total nitidez que eu estou no caminho certo. E que agora (e talvez sempre) só depende de mim.


Beijos!